21.12.10

livros burros...

Dia desses, passei no shopping de Nova Iguaçu quando ia do trabalho para casa. Uma das primeiras lojas é a livraria Nobel. Eu já visitei a livraria, mas naquele dia me toquei para a vitrine. Estava infestada de livros de auto-ajuda, empreendedorismo, uns cinco block busters tipo "a menina que roubava livros" e coisas do gênero, e uma enxurrada de livros, voltados para o publica adolescente, com a temática do momento: vampiros! Existiam outras cositas, mas todos os livros da vitrine, via de regra eram bobagens. A primeira frase que me veio a cabeça foi: "caramba, como se pode escreve tanta merda!". Dentro da livraria, a estante giratória de livros de bolso da Martins Claret e da Arlequim resplandeciam como oásis num deserto. Ali estão grandes clássicos da literatura brasileira e universal e, apesar de diagramação e revisão sofríveis dos livros, ainda é possível ler coisas que realmente falam algo à alma e ao coração. Pode-se ler de Édipo Rei a Assim falou Zaratustra, de Machado de Assis a Agatha Cristie.
Fico cá, com meus botões, pensando: onde estão os grades escritores. Será que eles acabaram, será que não existe uma meia dúzia de cabeças pensantes e sensíveis com o dom da escrita? Ou simplesmente as editoras não vem mais sentido em publicar grandes obras de autores verdadeiramente originais já que o trio auto-ajuda - empreendedorismo - vampiros emo teens dá mais dinheiro?
Nem entrei na livraria, peguei o encarte por educação - acho que fiquei uns cinco minutos diate da vitrine vendo se algum título se salvava, mas não deu mesmo. Depois segui para onde tinha de ir, mas com uma sensação de saudade ... Saudade de uma livraria que tem em Niteroi, no Niteroi Shopping (não o Plaza Shopping), rua da Conceiçaõ. Ela é pequeninissima, nem de longe lembra a Nobel ou a gema estore Saraiva, mas lá se encontra bons livros de verdade.

* Tambem da vitrine dava pra ver uma das primeiras capas da banca do "a partir de 9,99": um livro do Humberto Eco, pasmem!

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi! Olha, se os livros de autoajuda estavam lá é porque eles vendem - e muito. É o mercado, digo: vivemos uma época onde "nunca antes na história deste país", e no mundo, para complementar, as pessos buscam a felicidade num caos de consumo e busca pela beleza eterna. Um abraço.
Apenas um parafuso perdido.

Romanzeira disse...

Oi Parafuso! Sim, eu sei que esse é o mercado, mas me recuso a aceitar as coisas passivamente sem um minimo de critica, ainda que seja através de um pequenissio blog perdido na net entre tantos e tantos outros. As vezes, a vontade que dá quando vejo alguem lendo "o que uma mulher inteligente precisa saber" é dar uma sacudida e gritar: Acorda, ô imbecil! Se "tú" continuar lendo essas merdas vai é emburrecer, se é que já não emburreceu"!